quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A Estrela e o Vento



O dia amanheceu ensolarado. Havia chovido dois dias antes e o ar estava leve. Aquele era um dia especial. O lançamento do segundo romance da escritora. O dia transcorreu tranquilo. Na empresa todos se agitavam para divulgar aquele trabalho, percebia-se o quanto estavam interessados em seu sucesso.
A imprensa local divulgou amplamente sua história e o lançamento do livro novo. À tarde, enquanto ela se preparava para receber os amigos veio a notícia: “uma nuvem pairava sobre o local do evento impedindo que ele se iniciasse”.
O que fazer? Como cancelar o evento marcado para 19h, eram 18h? Como avisar os convidados que vinham de outras cidades. Ela dirigiu-se ao local do evento e confirmado que ele não seria realizado ficou esperando as pessoas que chegariam para explicar-lhes o ocorrido.
Ela não estava sozinha. O marido, um dos irmãos, o garçom, todos permaneceram ao seu lado, indecisos, preocupados. Telefonemas começaram a ser realizados, era necessário avisar o pessoal do Buffet contratado e pedir que aguardassem até depois do horário combinado porque não havia para onde encaminhar os produtos preparados por eles.
Às 18h30m juntou-se a eles a Estrela, preocupada porque ela havia organizado o evento naquele local, tentando tranquilizar a todos disse:
- Não vamos desistir, vamos pedir ajuda ao Vento.
E assim o fez. Enquanto ela buscava o Vento, a escritora atendia telefonemas, explicando para as pessoas o que estava  acontecendo. Juntaram-se a ela amigos seus e de seu filho, que permaneceram ao lado dela aguardando pacientemente os acontecimentos.
A espera angustiava a escritora. Quem aceitaria recebe-la? Salões não se alugam em cima da hora, restaurantes não a aceitariam porque estava levando o que deveria ser servido no coquetel. A resposta não demorou a chegar: “O  Vento providenciara um local para onde o evento seria transferido, junto com a Estrela preparariam o local para a noite de autógrafos,  a escritora receberia seus amigos conforme o combinado. Outra Estrela aproximou-se e colocou um cartaz na porta do local onde estavam, informando a mudança de endereço do evento.
A escritora permanecia ali,  esperando que seus convidados chegassem para informa-los do ocorrido e pedir que se dirigissem ao restaurante do Vento.  O colunista social e o fotógrafo, os amigos do condomínio, o poeta, o pintor, os amigos do filho, os familiares, todos solidários à escritora dirigiram-se ao restaurante e ficaram esperando por ela.
Ao lado dela permaneceram alguns amigos e o marido, para acompanha-la quando ela se sentisse segura de que ninguém ficaria sem informação.
Às 20h30m a escritora chegou ao restaurante e agradeceu a todos os presentes, lamentando que em virtude da confusão de cancelamento ou não do evento, alguns amigos deixaram de comparecer.
O evento realizou-se como esperado. O ar estava leve novamente. Os amigos se confraternizaram e manifestaram sua indignação para com a nuvem, porém a alegria reinava naquele ambiente repleto de estrelas.
A Noite estava clara, o Vento dissipara a nuvem e no céu o que se via era uma linda Constelação.
Cristina Cimminiello




3 comentários:

  1. Gostei, Cris, muito criativo! Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Talvez não se lembre de mim, mas estudei um semestre contigo. Quero te parabenizar pelo seu segundo livro: "As joias de Rovenna". Trabalho em uma escola da rede municipal de São Paulo e, gostaria de convidá-la, se possível, para apresentar suas obras aos meus alunos e por que não a todos? Acho que é importante achegá-los aos livros e seus autores.

    ResponderExcluir

Bemvindos ao Sarau

Oi pessoal, é muito bom saber que vocês vieram participar do meu sarau.